quinta-feira, 14 de março de 2013

Mulheres Pioneiras ( Bathsheba W. Smith)


Bathsheba W. Smith, serviu como a quarta presidente geral da Sociedade de Socorro, tinha três grandes amores na vida — sua família, ser dona-de-casa e o Senhor. Juntos, esses interesses a conduziram pela vida.Devotada ao marido e aos filhos e consciente de que estava fazendo o trabalho do Senhor, Bathsheba dedicou-se a fortalecer sua família. O marido, George A. Smith, era primo do Profeta Joseph Smith e o membro mais novo do Quórum dos Doze Apóstolos quando se casaram. Ele estava quase sempre longe de casa, servindo em missões, e Bathsheba muitas vezes escreveu-lhe falando de seu amor. “Nada poderia ser mais agradável do que sentar-me para ouvir sua voz melodiosa e bela revelar os tesouros preciosos de sua mente”, escreveu ela certa vez para ele. Seus filhos também lhe eram muito queridos. “Eles alegravam a casa com música e a felicidade deles me fazia feliz”, lembrou ela. “Tinha orgulho deles e era tão feliz com eles!”

Assim, Bathsheba sentia muita satisfação em prover o sustento da família. Suas cartas e autobiografia estão repletas de descrições de camisas, carpetes, cortinas, almofadas, sabonetes, tapetes, gorros, fronhas, lençóis, cobertores, bonés, meias, fraldas, velas, vestidos e outros objetos que ela confeccionava para dar conforto à família, sem mencionar os animais que ela criava, os jardins que cuidava e os doentes que visitava. Certa vez ela escreveu: “Fizemos tudo o que podíamos para incentivar a confecção de coisas em casa”.

Naturalmente, esse amor pelo lar e pela autossuficiência foi levado para o período em que ela serviu como presidente geral da Sociedade de Socorro. Como consequência, a Sociedade de Socorro publicou a primeira de uma série de aulas que mais tarde ficaram conhecidas como Lições de Educação Maternal, com ênfase em assuntos como criação de filhos, industriosidade e casamento. Além disso, o trigo da Sociedade de Socorro foi dado aos índios americanos de Utah, aos sobreviventes de um terremoto em São Francisco, Califórnia e às vítimas da fome na China.

Acima de tudo, “a Presidente Smith sentia com muita intensidade que as mulheres precisavam ser espiritualmente autossuficientes e que a Sociedade de Socorro era o lugar para que isso ocorresse: ‘É absolutamente necessário que as mulheres, bem como os homens, enquanto viverem não parem de estudar diligentemente para obter conhecimento, pois isso é de grande valor’. ”

Bathsheba Bigler Smith nasceu em 3 de maio de 1822 perto de Shinnston, West Virginia, e foi a oitava dos nove filhos de Mark e Susannah Ogden Bigler. Ela teve uma vida relativamente confortável e aprendeu a fazer artesanato e a andar a cavalo na fazenda de 121 hectares da família. Mas quando os missionários bateram à sua porta em 1837, tudo mudou. “Ouvi o que eles pregaram e acreditei no que ensinaram”, escreveu ela. “Acreditei que o Livro de Mórmon era um registro divino e que Joseph Smith era um Profeta de Deus. Soube pelo Espírito do Senhor, em resposta à minha oração, que essas coisas eram verdadeiras.”A família inteira foi convertida. A perseguição que ocorreu em seguida fez com que a família acabasse se unindo aos santos em Nauvoo, Illinois.

Em 25 de julho de 1841, Bathsheba casou-se com George A. Smith, um dos missionários que havia ensinado sua família. Tiveram dois filhos. Tempos depois, seu marido desposou mais cinco “jovens, boas e virtuosas” mulheres com sua aprovação. Sobre esse fato, ela escreveu: “Estando totalmente convencida (…) de que a doutrina do casamento plural era de Deus e tendo a firme determinação de ganhar a glória celestial, senti que deveria aceitar todo o evangelho”. Ela faleceu em 20 de setembro de 1910.

Com 19 anos, Bathsheba Smith era a mulher mais jovem da organização da Sociedade de Socorro em Nauvoo, Illinois, em 1842. Ela serviu como diretora do Templo de Salt Lake ao mesmo tempo em que foi presidente geral. Sentia que servir no templo era uma das coisas mais importantes que poderia fazer.


Gostou?
Deixe seu comentário!!
Postar um comentário