sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carnaval: o que fazer para fugir?

Eu sei que a festa de Caranaval faz parte da tradição ou cultura de nosso país.
Mas não somos obrigados a participar dessa festa que é desagradável aos olhos do Senhor.
O "porquê" nem merece explicações, não é?
A tv, internet, jornais, revistas, rádio e até o seu vizinho que mora cinco casas depois da sua, ficam "contaminados" com uma febre chamada "sem noção".

Então para salvar aqueles que vão passar esses dias de folga em casa, como eu, resolvi fazer uma listinha de algumas brincadeiras que podem ser adaptadas para todo tipo e tamanho de família. 

Divirtam-se!!!!



Balões + Fita Adesiva = Diversão
Duas brincadeiras para fazer com balões e fita adesiva. Vamos precisar de:
balões rolos de fita adesiva (do tipo que se usa para embalar caixas)
Na primeira brincadeira, divida o pessoal em dois ou mais grupos. Cada grupo escolhe um voluntário (melhor que seja um rapaz!!), que terá enrolado em volta de si, da cintura até o pescoço, fita adesiva com o lado grudento para fora! Divida um número idêntico de balões vazios entre os grupos. No JÁ, os participantes começam a encher os balões, amarrá-los e grudá-los no “grudento” do grupo. Quando o tempo encerrar (se você tiver balões suficientes, deixe correr até encher de balões!), pegue um alfinete e vá estourando os balões para ver quem conseguiu mais.

A brincadeira nº 2 é um pouco parecida. Separe os grupos e amarre um voluntário para cada com fita também, porém já deixe os balões cheios e prontos. Todos participantes são vendados e os balões são colocados de um lado da sala, e os “grudentos”, do outro. No JÁ, cada grupo deve buscar os balões de um lado da sala e grudá-los no “grudento” do outro. O “grudento” pode falar com os participantes de seu time para orientá-los, mas não pode se mexer. Da mesma forma, quem grudar mais balões após o tempo acabar vence.
Obs.: essa segunda brincadeira não dá para muita gente, senão o pessoal vendado vai ficar se batendo todo!

Fax sem fio
Um twist na clássica brincadeira do telefone sem fio.
Faça duas filas com o mesmo número de pessoas. Para as duas pessoas mais de trás, mostre um desenho simples (uma casa, um sol, um sorvete). Agora os times devem ir passando o desenho um para o outro desenhando-o nas costas da pessoa da frente. Só pode desenhar uma vez! A pessoa mais da frente de cada fila deve então fazer o desenho no papel. 
Compare os dois desenhos com o original!

Caçador do Exército-( parecido com carimba)
É um jogo como “caçador” (também chamado de “queimado”) mas as regras mudam um pouco: se alguém for atingido em uma certa parte do corpo, não pode 
mais usá-la até o fim do jogo.
Por exemplo, se alguém for atingido no braço, não pode mais usá-lo para arremessar. Se for atingido em uma perna, só pode mais pular com a outra perna.
Se for atingido no tronco ou cabeça, está fora.
Vale grudar um adesivo na parte do corpo que vai ser invalidado.
Use uma ou mais bolas de plástico ou vôlei – também é possível jogar com times ou 
cada um por si.

Batalha da Cadeira
Coloque uma cadeira no centro da sala e peça para o pessoal fazer um círculo em volta. Todos entrelaçam os braços, como num “abraço de grupo”. O objetivo é empurrar os outros de forma a fazer alguém encostar na cadeira. Quando uma pessoa encostar cai fora do jogo e começa outra rodada. Continua até que só sobre uma pessoa.
Tome cuidado para ninguém se machucar! Se o jogo começar a ficar violento, pare na hora.

Meninos x meninas
Faça uma rodinha de cadeiras e deixe 4 cadeiras meio separadas das outras (ou use um sofá que tenha lugar para 4 pessoas). Cada um escreve seu nome num pedaço de papel. Distribua os papéis entre os participantes – cada um agora responde pelo nome que recebeu. Todos sentam nas cadeiras e nas cadeiras separadas (ou sofá) devem sentar 2 meninas e 2 rapazes. O objetivo do jogo é encher o sofá com 4 rapazes ou 4 meninas. Se o número de rapazes e meninas não for mais ou menos o mesmo, escolha algumas garotas para serem rapazes ou vice-versa.
No círculo de cadeiras sempre haverá uma cadeira vazia. A pessoa à direita da cadeira vazia chama o nome de alguém do grupo. A pessoa que estiver com o papel desse nome levanta de onde estiver, e vem sentar na cadeira vazia. Os dois (quem chamou e quem trocou de lugar) então trocam seus papéis (não esqueça de fazer isto! Às vezes o pessoal esquece). Agora outra cadeira ficou vazia, e a pessoa à direita da mesma chama outro nome e assim por diante…
Obviamente os rapazes irão querer retirar as meninas do sofá e colocar meninos, e vice-versa. Quando os quatro lugares tiverem sido preenchidos só por meninas ou só por rapazes, o jogo acaba. É proibido os outros darem dicas sobre qual nome chamar. Também não pode chamar o mesmo nome duas vezes seguidas.
Essa brincadeira faz seu grupo pensar!

Corrida de biscoitos
Precisaremos de:
·        duas tigelas
·        biscoitos recheados
·        pasta de dente
Encha duas tigelas com o mesmo número de biscoitos “Negresco” (ou a marca que preferir). Calcular o número de biscoitos pelo número de participantes (5-6 biscoitos por pessoa é uma boa medida). Uma tigela será para as meninas, outra para os rapazes.
No JÁ todos devem começar a comer e o time que acabar os biscoitos primeiro vence.
Em alguns biscoitos na tigela dos rapazes, retire o recheio previamente e coloque pasta de dente no lugar. A reação deles será muito engraçada!!

Blitz de Papel
Traga para a reunião um pacote de papéis e deixe as crianças fazerem um monte de aviões de papel. Divida a sala ao meio com um sofá, ou com um quadro negro móvel. Coloque metade das crianças e metade dos aviões de cada lado e explique que eles só devem tocar UM avião de cada vez e devem parar quando você gritar “PAREM!”. Comece a brincadeira. Eles devem atriar os aviõezinhos de papel para o outro lado o mais rápido que puderem. Depois de 2-3 minutos diga “parem!”. O time com menos aviões do seu lado vence.
Variações: Em vez de aviõezinhos de papel, podem ser bolinhas de papel amassadas, ou ainda bolas de meias.

Pulmões de Gelatina
Arranje uma mangueira ou tubo flexível (1 a 2 metros, de preferência transparente). Coloque um pouco de gelatina (ou pudim de chocolate, ou Tang, ou água) dentro do tubo e um participante de cada lado. Quando o jogo começar, os dois devem soprar sua ponta do tubo. A pessoa com pulmões mais fracos com certeza vai levar gelatina (ou pudim de chocolate, ou água se seu grupo for meio “nojento”) na cara. Dê bombons ou balas para os vencedores.

Teatrinho Confuso
Esta é uma brincadeira divertida para todos, que pode ser adaptada para qualquer grupo ou tema.

Divida o grupo em grupos menores entre 3 e 8 pessoas. Cada grupo ganha um pedaço de papel com 10 a 15 palavras. Eles precisam inventar uma esquete (um teatrinho) engraçado de 2 a 3 minutos que contenha cada palavra da lista!
Escolha palavras que definam o que você quer. Se quer um teatro sério, coloque palavras como paz, guerra, justiça, ou família, amor, pais, etc. Já se quer mais de brincadeira, coloque palavras bobas, nomes de celebridades, locais, pessoas do grupo. Você pode até dar objetos tolos que eles devem incluir no teatro, como um desentupidor de pia, um tijolo ou uma banana.
Faça uma comissão avaliadora que dê notas para os teatros: encenação, humor, uso das palavras, etc.
Variação: O objetivo do jogo pode também ser esconder quais são as palavras, de forma que no fim da esquete os outros grupos tentam descobrir quais são as palavras.



Gostou?
Deixe seu comentário!!








Postar um comentário